12/05/16 0 comentários

Humm, vai ter bolo!

Olá Amiguinhos! Quanto tempo!

Nem sei por onde começar, mas vou tentar. Posso fazer um texto lindo ou ir direto ao ponto.

Vou direto ao ponto.
Vamos casar!

Como assim?


É uma longa história, mas a verdade é que agora vai! Vamos nos casar em breve! Tudo culpa daquele buquê que eu peguei naquele casamento em Maio do ano passado, em que fomos padrinhos. 
Ali ficamos fadados ao matrimônio.
E desde então, não se fala de outra coisa (estou falando de mim, hehehehe).

Faz tempo que "temos" esta vontade e não sabíamos por onde e nem quando começar.
Talvez isso até já poderia ter acontecido, se não fosse a minha vontade única de fazer uma festa de casamento.
Não tive festa de 15 anos, nem de 18 anos, não me formei na faculdade, nada disso que pudesse me dar uma festa daquelas.
Mas o casamento me dará!

Poder compartilhar este momento com pessoas especiais, não tem preço.

Mentira! Tem preço sim!





Quer festa? Então vai juntar dinheiro!
E é assim que estamos estou fazendo, puxa daqui, puxa dali, planos e mais planos... sei que no fim tudo vai dar certo!

Mil acessos por dia no Google procurando coisas sobre casamento, decoração, festa, lembrancinhas, vestidos, convites, fotografias, som, luz, iluminação!

O Google não me aguenta mais!

De cada 10 pessoas que converso por dia, com 11 delas eu falo do casamento!

Eu juro que tem dias que eu converso comigo mesma e digo:

- Não vou falar sobre isso hoje! #SóMais24Horas

Mas não consigo, sempre fracasso! Sempre falo!
E vou continuar falando até o dia do casamento.

E por falar nisso, tenho pouco tempo e ainda muitas coisas para resolver.



Ai que medo!




26/03/16 0 comentários

Porto nem tão alegre

"Há muito tempo que ando nas ruas de um porto não muito alegre"


Quem dera se fosse só a letra de uma música, mas não. Realmente a nossa cidade não é mais tão alegre assim.
 
Esses tempos vi um documentário na tv a cabo, do ano de 2008 e cheguei a conclusão que Porto Alegre simplesmente parou no tempo. Quer ser (e se diz) uma metrópole mas não evoluiu. É importante ter histórias para contar para os nosso filhos, para os nosso netos, mas é importante também ter histórias para contar entre nós, nós que vivemos nesta cidade nos dias de hoje. Nossa cidade está jogada às traças, às moscas, jogada ao vento.


Não se tem investimento nenhum em área nenhuma. 
Nossas noites já não são mais as mesmas. 
Nossos parques então, nem se fala.
 
Até hoje ainda temos árvores centenárias caídas pelo Parque Farroupilha. Andar pelo Marinha do Brasil, dependendo do horário, pode ser uma super aventura, mas não de empolgante e divertido que isso possa ser, mas sim por causa da insegurança. Porto Alegre, mal administrada, hoje está com o prazo de validade vencido, muitas coisas venceram por aqui. 


O projeto das bicicletas, o Bike Poa, venceu. Um projeto bacana, de fácil acesso para a população, milhares de usuários nos últimos anos e simplesmente "venceu" o prazo do contrato e não renovaram em tempo. Sabe-se lá quando teremos o serviço de volta. 


Os relógios digitais também pararam de funcionar, quem está acostumado a olhar pela janela do carro ou ônibus para saber as horas e a temperatura vai ter que esperar, e muito. #EuCurto #EuCuido #SQN


São coisas pequenas, mas que demonstram toda a incompetência de uma gestão numa cidade grande. Isso sem falar da educação, da saúde, da segurança... Colégios caindo aos pedaços literalmente, postos de saúde em meio a total insegurança (quase uma Faixa de Gaza), assaltos, arrastões. Andar pelo Centro? Nem pensar! Temos a maior concentração de meliantes por metro quadrado no Centro e ninguém faz nada. Eu tenho medo de passar por lá. E você?

Mas uma coisa não posso deixar de destacar, agora temos ônibus novos, coloridos, lindos, tinindo de novos, estalando. Olha tem até ar condicionado! 


Que se dane! 

Não é mais do que obrigação. 
Não queremos luxo, nem ônibus com tecnologia de ponta, tipo coisa de japonês, nada disso. 
Queremos apenas ir e vir sossegado. 
E por falar em ir em vir sossegado, nosso trânsito está cada vez mais caótico. E com isso perde-se cada vez mais (além de tempo) a qualidade de vida. O tempo que eu poderia tomar um café da manhã com a minha família, eu não posso, porque tenho que sair de casa 1 hora mais cedo pois sei que ficarei presa no trânsito e preciso chegar no meu horário no trabalho. 

O tempo que eu poderia jantar com a minha família, ver minha esposa, meu marido, ver meus filhos, ajudar no dever de casa, ou simplesmente curtir o ócio depois de um longo dia de trabalho, não posso, pois eu levo aproximadamente 2 horas para voltar para casa. Ainda bem que o ônibus é novo e tem ar condicionado! #SQN
 
E por falar em trânsito, Porto Alegre ainda hoje parece um queijo suíço com tantas obras e buracos espalhados por ai. Era para ser para a Copa de 2014, mas eu acho mais que vai ser para a Copa de 2018 na Rússia. Tem obra que já foi feita, entregue, refeita, e agora está parada. Superfaturamento e atraso na entrega das obram, andam lado a lado. Isso tudo é resultado do plano do nosso governo chamado PAC (Plano de Atraso da Copa).


O descaso é tanto que eu só sei que hoje é aniversário de Porto Alegre porque eu procurei no Google. Se não, passaria em branco. Nem o Zaffari fez propaganda do aniversário da cidade, fica na mesma música de sempre...

Enfim, queria poder dar os parabéns de coração para esta cidade, mas hoje só posso rezar e esperar por dias (e governos) melhores.
 
E que a nossa cidade volte a ser mesmo um Porto Alegre.
 
16/10/15 0 comentários

Cuidado! Frágil!

Sabe o que tem dentro desta caixa?


Vida! 

Sim, dentro desta caixa tem a minha, a sua, a nossa vida.

Essa semana nossa cidade, nossa Porto Alegre e cidades vizinhas, passaram por maus bocados, por causa da forte chuva que nos atingiu. Casas alagadas, famílias que perderam tudo que conseguiram adquirir ao longo do tempo e hoje estão desabrigadas, alojadas em algum lugar, bem distante e diferente do que eram as suas casas. Além disso, pelas ruas, só se viam árvores caídas, semáforos apagados, falta de luz, e olha que engraçado, até mesmo falta de água. Sei de lugares que, por causa da chuva, ficaram sem luz e se não tem luz, não tem energia para as bombas do DMAE, logo não tem água. Que louco não é mesmo?

Mas o fato é que todas essas coisas que aconteceram aqui nesta semana, em algum momento de nossas vidas nós nunca imaginamos acontecer conosco, sempre acontece longe, com um estranho, numa cidade longe da nossa, outro estado, outro país.

Mas não! Desta vez foi bem aqui do nosso lado. Aposto que você que está lendo este texto, tem pelo menos um conhecido muito próximo, vítima deste temporal dos últimos dias. Pode ser um colega de trabalho, da faculdade, parente, pelo menos uma pessoa você vai conhecer.

E ai vem a fragilidade da nossa vida.
Do nada, perdemos tudo. 

Ontem as casas estavam inteiras, seus quartos, suas camas, suas roupas, intactas. Hoje são lembranças. Ontem as pessoas conseguiam caminhar pelas ruas tranquilamente. Hoje caminham pelas águas ou desviam das árvores no meio do caminho. Ontem as crianças brincavam na rua, jogando bola, andando de bicicleta. Hoje elas andam de barco no meio da correnteza que se formou. Ontem a hora do jantar foi em família, em frente à televisão assistindo a novela das nove. E hoje?

Cuide bem da sua caixa!


 
;